Ano Novo, o mesmo tarifário: navegante mantém preços em 2023

No ano que vem, andar de transportes públicos na região de Lisboa vai custar o mesmo que em 2022. Dado o agravamento da situação socioeconómica das famílias e o estado de emergência climática que continua a impor a urgência de estimular o uso dos transportes coletivos, a decisão do executivo da Área Metropolitana de Lisboa foi manter inalterados os chamados tarifários navegante.

Assim, o preço dos passes mensais e dos títulos ocasionais dos serviços rodoviários operados sob a marca da Carris Metropolitana não sofrem qualquer aumento em 2023. Isto, mesmo tendo em conta o aumento de 6,11% da Taxa de Atualização Tarifária prevista e autorizada pela Autoridade de Mobilidade e Transportes para o próximo ano.    

Na prática, no ano que se avizinha, mantêm-se os 30 euros cobrados pelo passe navegante municipal – feito para as deslocações dentro do municípios – e os 40 euros cobrados pelo navegante metropolitano – pensado para deslocações entre qualquer um dos 18 municípios que compõem a área metropolitana de Lisboa.

Mantêm-se ainda sem qualquer alteração os preços dos títulos ocasionais, como exemplifica a tabela abaixo.

A operar nos concelhos da margem sul do Tejo desde o verão, a Carris Metropolitana está em contagem decrescente para o lançamento da operação rodoviária nos municípios da margem Norte, prevista para o primeiro dia do próximo ano.

Sob o mote ”linhas que o ligam a tudo”, a marca representada no terreno pelos operadores de transporte Transportes Sul do Tejo, Alsa Todi, Viação Alvorada e Rodoviária de Lisboa continua a desenvolver todos os esforços para se afirmar como uma real alternativa ao uso do transporte individual para as deslocações do dia-a-dia. Diariamente focada na construção da mobilidade do futuro, entende que aumento dos tarifários seria contraproducente à sua missão.

Ano novo, o mesmo tarifário. Em breve nos 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa.